05 de agosto de 2013

Tudo o que você precisa saber sobre “O Cravo e a Rosa”

Por: Coisas de Novela

Montagem / Redação POP

Hoje será a “estreia” de “O Cravo e a Rosa” no “Vale a Pena Ver de Novo”, um grande sucesso de Walcyr Carrasco que volta para as tardes da Globo. Se você é uma das quinze pessoas que não assistiram a essa novela em sua exibição original ou em qualquer uma das quinze reexibições de novelas do autor no bloco de reprises (e você aí reclamando de “A Usurpadora” ou “Chaves”), vamos tentar te convencer a acompanhar a história de amor entre Catarina (Adriana Esteves) e Petruchio (Eduardo Moscovis).

Qual é a história disso aí?
Estamos nos anos 1920 e a jovem Catarina é considerada uma fera por todo mundo só por acreditar que não é um homem que dará felicidade a ela. Ou seja, uma mulher com pensamento muito mais adiantado e moderno que a de suas conterrâneas. Por sua personalidade forte ela constantemente entra em conflito com Julião Petruchio, um machão conservador que deseja se casar com Catarina para salvar suas terras com o dinheiro da megera. O relacionamento conturbado dos dois é o que guia a trama, e os barracos homéricos de Catarina durante as discussões entraram na memória afetiva das pessoas: ela simplesmente fazia a louca e saía arremessando coisas no machão. “O Cravo e a Rosa” é simples como toda trama exibida no horário das 18h, mas é uma novela deliciosa.

Divulgação / Globo

Novela é coisa de gente sem cultura. Eu gosto de cultura de alta qualidade, como teatro.
Você tem um pensamento bem preconceituoso, mas isso é assunto para outra discussão. De qualquer forma, “O Cravo e a Rosa” é uma adaptação livre da peça “A Megera Domada” de Shakespeare.

Certo, quem é o autor?
A pessoa por trás de “O Cravo e a Rosa” é Walcyr Carrasco, um dos autores mais reprisados pelo “Vale a Pena Ver de Novo” e atual autor de “Amor à Vida”. Suas novelas das 18h sempre são reprisadas por terem sido sucessos em suas exibições originais, terem um texto bem simples e por serem novelas com classificação livre, uma mão na roda para a emissora por não precisar passar por um rigoroso processo de edição. E “O Cravo e a Rosa” é especial para o autor por ter sido sua estreia na Globo.

Reprodução / Memória Globo

Estreia? Quando estreou esse negócio?
“O Cravo e a Rosa” estreou em 26 de junho de 2000, e foi a primeira trama do autor na Globo. Anteriormente ele havia feito sucesso com algumas novelas no SBT (como “Fascinação”) e na Manchete (com o clássico “Xica da Silva”).

Voltando para a novela, a história vai ficar só nisso da Catarina e do Petruchio se estranhando?
Claro que não. Embora tenha muita gente torcendo pelo casal (a irmã mais nova da fera, por exemplo, só poderá se casar quando a mana se arranjar, então ela é uma das mais entusiasmadas pelo casório), há também quem não quer que o casamento aconteça nem por decreto. Lindinha (Vanessa Gerbeli), por exemplo, foi criada com Petruchio e é louquinha por ele. Mais pra frente na também surgirá Marcela (Drica Moraes), uma francesa que também interessada no desejado xucro.

Quero saber dos famosos. Quem está nessa novela?
Tem muita gente boa. Eduardo Moscovis e Adriana Esteves são destaque pela importância de seus papéis, mas não podemos deixar de lembrar Luis Mello (o Atílio de “Amor à Vida”), Ney Latorraca, Carlos Vereza, Murilo Rosa, Maria Padilha, Drica Moraes, Leandra Leal e Rodrigo Faro (dessa vez ele está vestido de homem e não vai dançar a cada beijo da novela).

Me convenceu! Como faço para assistir?
Basta ficar ligado na Globo de segunda a sexta-feira às 14h40.