12 de julho de 2013

Top 14: Curiosidades sobre “Betty, a Feia”

Por: Coisas de Novela

Montagem / Redação POP

Embora tenha apenas um ponto de audiência de média, o índice de “Betty, a Feia” na RedeTV! é superior ao índice de outros programas caríssimos do canal (cofcofSobMedidacofcof). O fato é que Betty tem um público cativo e fiel, algo invejado por qualquer programa em qualquer canal. Com tantas décadas de sucesso, claro que a novela tem diversas curiosidades, e algumas delas vamos contar agora neste post especial.

1- Nicolas Mora era um cantor de sucesso
Antes de ficar famoso interpretando Nícolas Mora (gerente geral da Terra Moda e dono de um memorável toque de celular), Mario Duarte era um cantor lá na Colômbia. Talvez o momento mais divertido da novela foi quando Mario foi fazer uma apresentação na trama, e de longe Nícolas ficava assistindo e comentando como aquele cara era ridículo.

2- Taís Araújo fez uma participação especial na novela

Entre as diversas celebridades que participaram de “Betty, a Feia” e você nunca ouviu falar (ou vai me dizer que conhecia a Adriana Arboleda antes do fascínio do Armando?), a atriz brasileira Taís Araújo fez uma bela participação. Quando Betty viajar para Cartagena com Catalina, a feia conhecerá a atriz negra famosa por interpretar a Xica da Silva, e Taisinha vai ensinar Betty a sambar. Tudo faz parte do processo de embelezamento para a feia.

Montagem / Redação POP

3-  Betty e Patrícia já foram donas de casa desesperadas
Sabe aquele seriado americano, o “Desperate Housewives”? Pois então, a Disney achou que seria inteligente gravar versões latinas do seriado, e produziu o seriado em diversos países (até mesmo no Brasil, chamado “Donas de Casa Desesperadas” e produzido pela RedeTV!). Na versão colombiana, a atriz Ana Maria Orozco (a Betty) interpretou a personagem Susana, o equivalente à Susan Mayer da versão original. Já Lorna Paz (a Patrícia) atuou na versão latina exibida nos EUA e interpretou Leonor Guerrero, nada menos que a Lynete Scavo do seriado. Enquanto essas versões contaram com atrizes renomadas, na brasileira tivemos Franciele Freduzeski e Isadora Ribeiro mesmo porque é o que tinha pra hoje.

4- Betty já foi casada com Hugo Lombardi
Essa curiosidade explodiu minha cabeça (foi parecido quando descobri que o Artie do “Glee” não era paralítico de verdade). Antes da estreia de “Betty, a Feia”, os atores da Betty e do estilista Hugo eram casados, um choque para quem pensou que o carequinha era gay como seu personagem. Depois eles se separaram, mas isso não afetou o clima das gravações da novela, embora eu ache que aquelas brigas entre os dois em cena servia para desestressar da tensão da realidade.

5- Seu Hermes participou de “Salve Jorge”
Calma, não estou falando do ator Jorge Herrera. Na verdade, quem participou de “Salve Jorge” foi Walter Breda, o dublador do pai da Betty. Na novela fantasiosa de Gloria Perez, Walter foi o seu Clóvis, o marido de Diva (Neusa Borges).

Montagem / Redação POP

6- “Betty, a Feia” teve 23 versões em todo o mundo
Além dos países que exibiram a versão dublada da colombiana “Betty, a Feia”, alguns muitos se arriscaram a versões nacionais da já clássica trama da feia que se torna bela. Entre os países com versões locais da história de Fernando Gaitán estão Alemanha (“Vierliebt in Berlin”), China (“Chou Nu Wu Di”), Espanha (“Yo Soy Bea”), Portugal (“Tudo por Amor”), México (“La Fea Más Bella“), França (“La Destin de Lisa”), Estados Unidos (“Ugly Betty”) e, claro, Brasil (“Bela, a Feia“).

7- A segunda fase da novela teve uma abertura nova
Quando o plano de sedução de Armando começou, a abertura da novela acompanhou essa mudança na trama. Ao invés da animada música de abertura cantada por Yolanda Rayo (ou da cantora Sarah Regina no Brasil), o vídeo de abertura aparecia embalado pela música “Mentiroso” de Enrique Iglesias. Infelizmente, a RedeTV! não colocou essa música na atual reprise de “Betty, a Feia”.

8- Existem duas Chiquinhas (do “Chaves”) no Quartel das Feias
Não se preocupe porque a atriz Maria Antonieta de las Nieves, a Chiquinha do “Chaves”, não participou de “Betty, a Feia”. Novamente eu estou falando de dubladores, dessa vez sobre duas mulheres do Quartel das Feias. Quem dubla a Áurea Maria é a atriz Sandra Mara Azevedo, enquanto quem empresta a voz à Sandra é atriz Cecília Lemes. Tanto a Cecília quanto a Sandra têm um papel em comum: as duas dublaram a Chiquinha. Tente prestar atenção quando ver o Quartel das Feias agora para reconhecer as vozes da filha do Madruguinha.

Reprodução

9- “Betty, a Feia” ganhou um desenho animado e um seriado
“Betty Toons” é uma série animada com os personagens de “Betty, a Feia” estudando em uma escolinha. Quer dizer, quase todos os personagens, porque Hugo Lombardi misteriosamente desapareceu dessa versão (por que será, né?). Todos os personagens são crianças, menos Inesita (porque seria forçar a amizade colocar essa senhora com a mesma idade dos outros). Já “Ecomoda” é um seriado que funciona como continuação das histórias da feia, dessa vez com Armando e Betty já casados e trabalhando juntinhos.

10- Até o presidente da Colômbia fez uma participação em “Betty, a Feia”
Enquanto a Dilma não faz uma participação em “Amor à Vida”, podemos ver o presidente da Colômbia André Pastrana em uma cena durante o concurso de Miss Universo em Cartagena (na fase de embelezamento da Betty). Imagine o prestígio da novela na época.

11- As novelas latinas que foram usadas para aproveitar o fenômeno aqui no Brasil
Para combater o crescente aumento de audiência de “Betty, a Feia” na RedeTV!, a Record decidiu revidar comprando a novela “Joana, a Virgem”. A novela foi um fracasso e hoje poucos se lembram da garota virgem que engravidou. Já a RedeTV!, querendo manter a audiência, foi atrás de uma novela semelhante à da feia e comprou os direitos de “Pedro, o Escamoso”. A emissora do Nelson Rubens tentou vender a trama como uma versão masculina da feia, até colocou nos protagonistas as mesmas vozes do casal principal da versão brasileira de “Betty, a Feia”, mas tudo foi em vão e a novela não conseguiu nem metade da audiência da antecessora.

Reprodução

12- Muitas das cenas da novela eram puro improviso
Uma das características mais legais de “Betty, a Feia” era a naturalidade das cenas. Os personagens tinham muita fluidez, e isso graças ao roteiro da trama. Quer dizer, à falta de roteiro. Algumas cenas em grupo simplesmente não traziam indicação alguma aos atores do que eles deveriam falar, deixando que eles improvisassem e dessem vida aos personagens. Isso acontecia muito também nas cenas de participações especiais (Taís Araújo confirmou que não havia roteiro em suas cenas com a Betty) e nas visitas panfletárias (como naquela ida à exposição do Picasso).

13- O Brasil já assistiu a quatro versões diferentes da história
A primeira foi a própria “Betty, a Feia”, seguida pela versão mexicana “A Feia Mais Bela”, o seriado americano “Ugly Betty” e a produzida pela Record “Bela, a Feia”. Nada mal, heim?

14- A novela não é o único sucesso de Fernando Gaitán

“Betty, a Feia” não é o único e nem o primeiro sucesso do autor. A primeira novela famosa de Fernando foi “Café com Aroma de Mulher”, logo depois ele produziu “Betty, a Feia” e atualmente goza do sucesso da trama “A Corazon Abierto”.